O rosto cheio de espinhas é quase um símbolo da adolescência, mas nem por isso o cuidado deve ser deixado de lado. O acompanhamento médico e o tratamento adequados melhoram não só a aparência, como também interferem diretamente na autoestima dos adolescentes, além de tratar e prevenir manchas e cicatrizes.

Acne é uma das principais queixas no dia a dia dos consultórios dermatológicos, afetando 85% dos adolescentes, mas pode ocorrer em qualquer idade. É uma doença inflamatória crônica e, por isso, deve ser acompanhada por quase toda a adolescência. As lesões são localizadas mais comumente na face, no colo e nas costas. Caracteriza-se pela presença de pele oleosa, comedões abertos (cravinhos pretos) e fechados (cravinhos brancos), além de lesões inflamatórias, como pápulas e pústulas (aquelas lesões avermelhadas que podem ter um ponto de pus); em casos mais graves, podem aparecer nódulos. As lesões podem evoluir com manchas e cicatrizes.

O tratamento pode ser feito por meio de produtos tópicos (de aplicação direta na pele) ou de forma sistêmica (através da ingestão), além de procedimentos associados.

Uma coisa é certa: a ACNE tem tratamento e, quanto antes começar, melhor. E quem é a pessoa mais indicada para ajudar você? O médico dermatologista. Ele é especialista em pele e vai orientar o tratamento correto para o seu caso.

MAS, ATENÇÃO! Como todo tratamento, é preciso seguir à risca todas as recomendações médicas para conquistar os resultados esperados. Não deixe a acne marcar você. Não se esconda, encare!

Fonte: www.sbd.org.br
Siga-nos
Termos de uso
Política de privacidade
Imprensa
Contato